terça-feira, 22 de agosto de 2017

Resultado de imagem para perdao


Perdão é o mesmo que libertação, e liberta-se é uma forma de encontrar o amor dentro de si e consequentemente uma vida mais feliz e saudável. Podemos encontrar no Evangelho de Jesus histórias lindas de perdão e a figura de Jesus sendo a personificação, também encontramos ricamente na literatura espírita enredos que provam o bem que alcançamos ao perdoar. Neste momento, nos deteremos em uma história com dois protagonistas conhecidos e queridos, Dr. Bezerra de Menezes ilustre médico e detentor de grande amor que tanto aos necessitados estendeu suas mãos através do seu amor, conhecimento e caridade, e Quintino Bocaiúva político e jornalista que teve um grande papel desempenhado na proclamação de nossa republica. Conta-se que ambos estavam a dialogar num jantar amistoso na casa de Bocaiúva, trocando ideias e experiências da doutrina espírita, ambos buscando e aprofundando conhecimento sobre, até que num dado momento um de seus empregados adentra o recinto trazendo consigo um rapaz e um policial, informando: -Sr. Trago-lhe o rapaz do acidente. Ao passo que o apresentado se joga ao chão, pedindo clemência, perdão pelo erro que havia cometido, ainda não possuidor de destreza com arma de fogo, acabou acidentalmente atingindo o braço deste do doutor da lei, Quintino se dirige a ele afirmando que não haveria perdão pelo que fizeste, Dr. Bezerra a tudo observava calado, mas sem dúvida com olhar de reprovação, no mesmo instante Quintino o interpela: -Vistes o que ele me causou, acha mesmo que eu poderia perdoar algo assim? O Sr. Não acha que estou no meu direito? Ao que Dr. Bezerra calmamente e numa grande lição para todos nós responde: -Meu amigo, você tem todo o direito de não perdoar, contanto que não erre.




Esta singela história ilustra com clareza o por quê do perdão, a todo instante em nossas vidas estamos a errar, desejosos por vezes do perdão daquele que ofendemos e raramente nos damos conta do quanto somos resistentes em esquecer, perdoar, aceitar, compreender. É dando que se recebe, pensemos no que estamos oferecendo de modo que possamos compreender tudo que temos recebido;
Amar acima de tudo é aprovar a si mesmo, se reconhece um bom espírita e acrescento um bom cristão pela força em que ele dedica para vencer as suas más inclinações;
Estamos sempre em busca da felicidade. Mas o que você faz para ser feliz? Uma pesquisa feita pelo Instituto brasileiro de opinião pública e estatística - IBOPE revelou que ter um plano de saúde está entre os três desejos brasileiros. Distanciando-se neste momento do cenário político do nosso país e compreendendo também o quanto é importante cuidarmos de nossa saúde, nos deteremos em uma visão holística do ser, temos conhecimentos consideráveis acerca do quanto a alegria, felicidade, fé, bom humor são benéficos para termos uma vida saudável, acima de tudo uma alma saudável. Pois, se somos detentores deste conhecimento então não seria melhor decidirmos nos curar e retirar todo o vinculo com o passado do que ter que fazer isso às pressas em uma mesa de cirurgia com um bisturi?
Aprendamos através do evangelho de Lucas em capitulo 6, versículo 37: “Não julguem e não serão julgados. Não condenem e não serão condenados. Perdoem e serão perdoados”.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

A LEI É DE AMOR


Resultado de imagem para AMOR

"Procure descobrir o seu caminho na vida. Ninguém é responsável por nosso destino, a não ser nós mesmos". Chico Xavier



Tudo o que nos acontece é orquestrado pela lei de amor! Esta afirmação pode até num primeiro instante chocar, porque logo pensamos nos dias mais sombrios em que tivemos, seja com problema se saúde, no trabalho ou na vida familiar. Mas o fato é que tudo que no acontece há uma razão, um motivo, em absoluto nada é por acaso, desta forma se naquele momento a razão é para o seu ensinamento/evolução então vemos claramente a lei de amor em ação.Se for através da justiça divina novamente a lei de amor está a comandar. Doença, desemprego, problemas no relacionamento, enfim é a lei de amor em sua vida, nos impulsionando sempre a amar a Deus acima de todas as coisas, amar a si como parte do criador, e ao próximo exercício da caridade.
Quando se fala em leis como de ação e reação logo somos levados a pensar em castigo ou punição, estamos equivocados, o amor é o carro chefe de todo e qualquer ensinamento que precisamos desenvolver. 
Divaldo Pereira Franco nos conta sobre o caso de uma jovem senhora que havia praticado 4 abortos e, agora pensando diferente, buscando sua evolução e portanto refazer o seu passado, questiona o que poderia fazer para reparar o mal compreendido por ela que outrora fora praticado. Através da inspiração, recebe a orientação de que oportunize que este espírito venha a reencarnar e assim sucedeu, engravidou e desta vez permitiu que esta gravidez continuasse, ainda não tinha o conhecimento que este mesmo espírito havia renegado por 4 outras vezes através do aborto. Sentindo-se renovada, possibilitou o nascimento desta criança que veio com alguns problemas físicos. Muitos de nós encararíamos como uma punição para ela devido as suas atitudes pretéritas, mas não ela, esta nossa irmã compreendeu em plenitude a lei de amor, conseguiu enxergar Deus atuando em sua vida e oferecendo nova oportunidade para este espírito e mais, experimentando em seu coração o amor mais sublime que até então havia sentido. O pai abandonou a família, mas esta mãe jamais desistiu de seu filhinho e todo o seu amor dedicou, atualmente este garoto já um adolescente com cerca de 15 anos de idade. 
A partir desta singela história podemos concluir que cabe a nós enxergarmos e sentirmos a lei de amor atuar em nossas vidas, que não é confortável em momento nenhum nos entregarmos ao sentimento de culpa, que devemos assim como esta jovem senhora enxergar os nossos erros e repará-los e, não nos martirizar eternamente pelo que já se foi, todos os dias temos a oportunidade de fazer melhor e diferente. 
Não se esqueça, o dia mais importante da sua vida é HOJE!
Amor e luz a todos!!!



sexta-feira, 10 de junho de 2016

CHICO XAVIER E O CÃO AMIGO






Caso parecido, que podemos usar como exemplo, é uma estória que relata a relação de Chico Xavier com uma cachorrinha que atendia pelo nome de Boneca. Segundo o escritor Adelino da Silva relata, Chico sempre era aguardado pela cachorrinha em casa, que fazia grande festa ao vê-lo chegar, pulando em seu colo e lhe lambendo o rosto como se estivesse a beijá-lo. Chico, sempre carinho e brincalhão, dizia: “Ah Boneca, eu estou com muitas pulgas!” E a cachorrinha imediatamente começava a lhe coçar o peito com o focinho. Quando Boneca desencarnou, Chico sofreu com a separação e, envolvendo-a em um xale que ganhara de uma fraterna amiga, enterrou a cachorra no fundo do quintal de sua casa. Tempos depois, um casal de amigos lhe presenteou com um lindo filhote de cachorro idêntico à sua amiga Boneca. A cachorrinha recebeu muitos afagos de todos os presentes na casa do Chico. Assim que Chico a tomou no colo, a cachorrinha ficou agitada e começou a lambê-lo, ao que, ele brincou: “Ah Boneca, estou cheio de pulgas!” A cachorrinha começou então a lhe caçar as pulgas, e parte dos presentes, que conhecera a Boneca, exclamaram: “Chico, será que é a Boneca que está aqui? É a Boneca, Chico!”. Emocionados perguntaram a ele como isso poderia acontecer. Ao que Chico respondeu: “Quando nós amamos o nosso animal e dedicamos a ele sentimentos sinceros, ao partir, os espíritos amigos o trazem de volta para que não sintamos sua falta. É, Boneca está aqui, sim, e ela está ensinando a esta filhote os hábitos que me eram agradáveis”.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Para onde vão os animais após o desencarne???

Sabemos que quando desencarnamos de regresso a nossa verdadeira morada todos retornaremos, mas e no caso dos nossos bichinhos tão queridos de estimação? O que os espera no processo além-vida?




UM CANTINHO DOS ANIMAIS

Existem dos planos conhecidos: o plano físico e o plano espiritual. Ora, se o animal habita o plano físico, quando desencarna ele adentra o plano imaterial, ou seja, o mundo dos espíritos. Mas essa afirmação não afirma que espíritos de homens e espíritos de animais dividam o mesmo espaço na erraticidade. Os homens tem seu espaço reservado, assim como os animais tem o seu e é para lá que eles são remanejados. Este local, segundo informações de André Luiz, se encontra nas proximidades da Terra, em colônias de transição e postos de socorro.

MEU FIEL COMPANHEIRO


Algumas pessoas se perguntam se elas, ao desencarnar, se encontrarão com os animais que lhes foram de estimação em vida, matando assim a saudade, que se acumulou durante o tempo em que ficaram separados. Esta é uma possibilidade pouco provável, segundo informações da Espiritualidade, uma vez que o animal não conserva sua consciência ativa após o desenlace do corpo físico. Ao adentrar o mundo espiritual, sua consciência adormece, ficando à disposição da espiritualidade para as funções que ela achar conveniente: reencarnar ou permanecer à disposição no plano espiritual a trabalho. Vejamos os ensinamentos dos espíritos na questão 600 de “O Livro dos Espíritos”> “A alma do animal, sobrevivente ao corpo, está depois da morte em um estado errante como a do homem? É uma espécie de erraticidade, visto que não está unida ao corpo, mas não é um Espírito errante. O Espírito errante é um ser que pensa e age por sua livre vontade, sendo a consciência de si mesmo seu atributo principal. A alma dos animais não tem a mesma faculdade.” O Espírito do animal é classificado, depois da sua desencarnação, pelos Espíritos que a isso compete, e quase imediatamente utilizado (para reencarnação), não tendo tempo de se colocar em relação com outras criaturas”.